Coxim do motor, qual sua importância?

 

Você já deve ter sentido uma vibração ou alguns estalos no motor e quando levou o carro no mecânico o diagnostico foi coxim do motor danificado.

O coxim do motor evita vibrações do motor é absorve todas as vibrações do mesmo.

O que faz o coxim do motor quebrar?

Os motivos são variados, tempo de vida da peça, buracos,ressecamento da borracha e até mesmo o jeito de dirigir o carro influencia na quebra do coxim.

Sempre que ouvir estalos ou vibração estranha no motor, verifique rapidamente os coxins do motor, pois a demorar da trocar  pode deixar o prejuízo muito maior.

Os coxins são presos em estruturas próximas a outras peças, como radiadores, correias, fiações etc.

Segue abaixo exemplos de coxins de motor.

coxim_motor_frontal_fit

Coxim do motor Honda Fit

coxim do motor hidraulico direito new civic

Coxim do motor Honda New Civic

 A troca é de suma importância, se ouvir algum barulho no motor vá ao seu mecânico de confiança para a verificação.

Procure coxins de qualidades para longa duração, pois existem alguns no mercado que não duram 2 meses de uso.

Onde achar Coxins de qualidade?

Entre: www.bermano.com.br

 

 

 

 

Kit de embreagem: Conheça cada item

 

A embreagem é umas das peças fundamentais em seu veículo, ela faz as trocas de marchas serem precisas em velocidade adequada.

A embreagem funciona devido ao atrito entre o platô de embreagem, por meio da sua placa de pressão, e o volante do motor.

Ela é composta por três itens: Platô, Disco e Rolamento.

Abaixo segue a imagem de cada item composto no kit de embreagem:

 

PLATÔ DE EMBREAGEM

plato embreagem

DISCO DE EMBREAGEM

disco de embreagemROLAMENTO DE EMBREAGEM

rolamento embreagem

A troca do kit de embreagem é recomendada a cada 50mil km ou quando perceber o desgaste prematuro da mesma.

Evite o desgaste da embreagem seguindo as seguintes recomendações:

- Não ficar com o pé no pedal nas trocas de marchas.

-Evite reduções bruscas de velocidade, freando ou desacelerando subitamente o motor.

-Nunca segure o veículo numa rampa utilizando a embreagem como freio.

Seguindo essas minímas recomendações você evitará uma grande dor de cabeça, e seu bolso irá agradecer.

Utilize sempre embreagens de boa qualidade, nossa empresa comercaliza embreagens originais da marca EXEDY (Made in Japan).

Kit de embreagem honda civic original

Onde comprar embreagens EXEDY?

Entre em nosso site e compre agora: www.bermano.com.br

 

 

Manutenção e prevenção: Evite o superaquecimento de seu veículo

 

Uma das principais dores de cabeça dos motoristas certamente é quando o carro sofre um superaquecimento e sobe aquela fumaça pelo motor correto?

O sistema de arrefecimento deve estar sempre em perfeitas condições, pois certamente ele te deixará na rua. O sistema faz com que o calor do motor seja controlado trabalhando em uma temperatura ideal com menos atrito e degaste precoce.

Abaixo você verá quais as principais peças que fazem parte do sistema do arrefecimento de seu veículo. Todas elas fazem seu motor trabalhar perfeitamente.

O sistema de arrefecimento é composto por:

 

Radiador

radiador honda civic

 

 

 

 

 

Bomba d’ água

bomba d água

 

 

 

 

 

 

 

 

Mangueiras

mangueiras

 

 

 

 

 

 

Válvula Termostática

válvula termostática

 

 

 

 

 

 

Sensores de temperatura

sensores de temperatura honda bermano auto parts

 

Reservatórios de água

reservátorios de água

 

Tubo d’ água (fluxo d’ água)

tubo civic bermano auto parts

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Tampas de Radiador e Reservatório

tampas reservátorio radiador berman o auto parts

 

Os principais defeitos são furos no radiador, bomba d´água sem funcionamento travada, válvula termostática travada fechada, tampas de radiador e reservátorio trincadas com vazamentos, junta de cabeçote queimada e mangueiras furadas.

Revisões

Evite o superaquecimento e o travamento do motor fazendo revisões periódicas, é recomendado fazer a revisão do sistema de arrefecimento uma vez por ano ou a cada 30 mil quilômetros.

O que deve ser revisado na elétrica do carro

 

A parte elétrica do seu veículo é muito delicada. Cuidando do sistema, você não corre o risco de parar no trânsito. É necessária atenção a diversos componentes para que não ocorra nenhum tipo de pane que resulte em prejuízo ou multa. Listamos cinco itens que devem ser revisados periodicamente para evitar problemas.

Bateria - Principal componente do sistema elétrico do seu carro, a bateria alimenta todo o conjunto. A vida média da bateria é de até quatro anos na melhor das circunstâncias. Uma vez por ano, porém, leve seu carro a uma oficina especializada para a verificação da bateria. Lá serão executados testes que confirmam se a bateria necessita ou não de troca.

Alternador - O alternador é fundamental para o sistema elétrico, pois sem ele seu carro dependeria somente da energia acumulada na bateria, o que duraria. Por isso, sempre que encontrar alguma anormalidade como dificuldades na partida do motor, variação na iluminação das lâmpadas de farol, luz de bateria no painel acesa, procure rapidamente a sua oficina mecânica para que se verifique o funcionamento do alternador.

Iluminação - O sistema de iluminação do carro é muito importante para sua segurança. Verificar as lâmpadas dos faróis e das lanternas é extremamente necessário para evitar acidentes. “A duração das lâmpadas seguem uma normal internacional e devem durar, no caso de lâmpadas mais simples, no mínimo, 700 horas. Esse número é lei e deve ser cumprido por todas as empresas que oferecem estes produtos. A Philips recomenda nos seus produtos que a troca seja feita durante o período de dois anos. Independente do funcionamento da lâmpada recomenda-se a troca por motivos de segurança, para que o motorista não sofra com um problema durante uma viagem à noite, por exemplo”, explica Juliana Gubel, gerente de marketing da Philips.

Sinalização - As luzes de posição e as setas também devem ser verificadas para evitar colisões. Por serem luzes mais utilizadas, é recomendável a troca anual. Devemos lembrar que não se deve esperar a lâmpada queimar para efetuar a troca. Ela deve ser feita com a lâmpada ainda funcionando, para evitar o risco de queima durante uma situação onde ela é necessária.

Periféricos - Vidros e travas elétricas são funções que servem mais para o seu conforto, mas que merecem atenção. Leve seu carro ao mecânico uma vez por ano para executar a revisão desses componentes, afinal, ninguém quer tomar um banho de chuva dentro do carro, pois o vidro elétrico não quer fechar. É preciso atenção com a instalação de alarme e sistema de som que não vieram de fábrica. A instalação de forma incorreta pode sobrecarregar a bateria, diminuindo sua vida útil e podendo fazer com que ela pare de funcionar em qualquer situação.

Fique atento aos avisos no painel do carro. As luzes podem indicar se seu carro tem algum problema. Nos carros mais modernos, fique atento ao computador de bordo do seu veículo.  Algumas montadoras colocam avisos pré-determinados por tempo ou quilometragem para lembrar de executar diversos tipos de revisões.

Fonte: Meu Automóvel Terra

Atenção! Cuidado com pegadinhas ao checar lubrificantes e fluidos

Mal o motorista encosta o carro no posto e o frentista já pergunta: “Quer ver óleo, água do radiador, fluido de freio…”. A iniciativa pode até ser boa, mas é preciso atenção para fazer a checagem da forma correta. Os lubrificantes e fluidos do carro têm particularidades e o uso incorreto pode trazer prejuízos. Veja, abaixo, o que deve ser observado.

Água – Apesar de chamada de “água do radiador”, o líquido do sistema de arrefecimento é composto por água e um aditivo específico recomendado pela montadora para manter limpas as peças. O indicado é conferir o nível com o motor frio uma vez por semana ou, no máximo, a cada 15 dias. Esse líquido também deve estar entre os níveis mínimo e máximo. Nos reservatórios, normalmente transparentes, há essas indicações. É normal baixar um pouco. Neste caso, pode ser colocada somente água sem o aditivo. Porém, o risco nesse caso é colocar água além do nível máximo, o que pode aumentar as chances de vazamento e superaquecimento. Se estiver baixando, é provável que exista um vazamento.

Óleo do motor – Além de seguir à risca os prazos de troca de óleo estipulados pela montadora, o motorista deve verificar pelo menos a cada 15 dias o nível. A marcação deve estar entre o mínimo e o máximo. E aí está uma pegadinha. A verificação deve ser feita com o motor do carro frio, após o veículo ficar desligado por pelo menos 10 minutos. Por isso, não adianta estacionar no posto com o motor quente e tirar a vareta. Isso dará uma falsa impressão de que nível está baixo e pode induzi-lo a colocar mais óleo desnecessariamente. Vale lembrar que o excesso de lubrificante no motor provoca vazamentos e pode estragar peças como velas e o catalisador.

Fluido de freio – A verificação, neste caso, pode ser feita com o motor quente, mas desligado. Também deve estar entre o nível mínimo e o máximo. Mas o fluido de freio costuma baixar se não tiver vazamentos. Em caso de nível baixo, o reservatório deve ser completado. O motorista precisa ficar atento se não há vazamentos e se a luz indicativa no painel não irá acender. Antes de remover a tampa do reservatório e adicionar o fluido (caso necessário), limpe cuidadosamente a área ao redor da tampa do reservatório para evitar a contaminação do fluido por outros produtos.

Direção hidráulica – Esse geralmente é esquecido até nos postos de combustível. Assim como o óleo do motor, o reservatório da direção hidráulica (fica próximo ao motor) tem nível mínimo e máximo. Não deixe ficar fora dessa faixa. Abaixo ou acima do nível pode prejudicar o sistema e deixar o volante pesado. Se tiver a necessidade de completar, há um óleo específico, que é diferente do motor.

Embreagem hidráulica – Em carros com embreagem hidráulica (sem cabo), é preciso ficar atento também ao fluido da embreagem. Em muitos carros ele é o mesmo usado no freio e no mesmo reservatório, mas em alguns carros há um reservatório separado. Por isso, você precisa verificar no manual do proprietário do seu automóvel onde é o reservatório, qual o fluido usado e qual o nível indicado.

Fonte: Terra Meu Automóvel